domingo, 18 de outubro de 2009

O mundo astral.


Considera-se plano astral ou, para outros espiritual, a grosso modo e sintetizando bibliografias espiritualistas, o lugar para onde vamos quando desencarnamos. Nesse lugar há vários sub-planos, normalmente relatam sete, cada um com suas próprias características evolutivas.
As filosofias espiritualistas nos mostram que o plano astral é muito dinâmico e é habitado por vários seres, composto de paisagens com construções, rios, relevo, etc.

No livro Nosso Lar [1] lemos que a água no plano espiritual onde se localiza a cidade de Nosso Lar "é empregada sobretudo como alimento e remédio. Há repartições no Ministério do Auxílio absolutamente consagradas à manipulação de água pura, com certos princípios suscetíveis de serem captados na luz do Sol e no magnetismo espiritual" (XAVIER, Francisco Cândido,1992.pp.61-62. Em Memória de um Suicida [2] lê-se toda a complexidade que o plano espiritual apresenta, onde um desencarnado no plano espiritual narra que ia "tateando na sombras, lá iámos por entre gargantas, vielas e becos, sem lograrmos incício de saída..Caverna sempre cavernas - todas numeradas -; ou longos espaços pantanosos quais lagos lodosos circulados de muralhas abruptas, que nos afiguravam levantadas em pedra e ferro [...]" (PEREIRA, Yvonne A. Memória de um suicida,1975. p.23)

Ainda segundo a literatura espiritualista vemos que as construções do plano astral são plasmadas pelo pensamento de entidades espirituais aptas para isso, sendo que até muitas construções no plano físico podem ser inspiradas naquelas que já existiam no plano espiritual.
Ainda em Nosso Lar (op cit p. 52) percebemos a descrição de "uma praça de maravilhosos contornos, ostentando extensos jardins. No centro da praça, erguia-se um palácio de magnificente beleza, encabeçado de torres soberanas, que se perdiam no céu."
Além de construções e demais elementos sem animação própria "sem vida" há no plano astral seres com livre arbítrio e seres criados pelas mentes dos vivos. Vejamos.

Espíritos de origem humana.
De pessoas vivas que estão dormindo ou possuem capacidade de desdobramento. Alguns inconscientes, outros conseguem obter plena conciência do seu estado e outros estão num meio termo.

De desencarnados.
Esse grupo é mais extenso e complexo, podem ser dividido em vários grupos.

Mortos vulgares com estadia incerta, errante, por fica por tempo difícil de ser determinado, horas, dias, meses, séculos pelo plano astral. Algumas vezes são totalmente inconsciente outras tem um leve percepção do que lhes acontece.
Discípulos a espera de reencarnação. Normalmente em número mais reduzido.
Sombras. Ocorre com uma complicada passagem, quando a entidade passa do plano astral para o mental e abandona seu envólucro espiritual à semelhança do desencarne quando abandona seu corpo físico. Esse envólucro espiritual pode ser usado por outros espíritos que dão a eles movimento e ação. 
Vítimas de morte súbita ou suicidas. Normalmente esses espíritos partem com muito fluido vital e se encontram agrupados em regiões específicas no plano astral.
Envólucros vitalizados por elementais (veja distinção entre elementais e elementares) . Esses envólucros, já citado por nós, podem ser usados por elementais, adquirindo movimento.
Vampiros e Lobisomens. Seres raramente percebidos que são espíritos de antigas raças que, ainda que raramente, nutrem-se de substância de sangue para manter sua vitalidade.
Magos que operam a magia negra. Esses tendem a permanecerem o maior tempo possível no plano astral para agirem com suas magias.


Não humanos.

Corpo astral do animais. Esses habitantes do plano astral normalmente não apresenta muita consciência de seu estado e logo são reaproveitados. Com algumas exceções feitas a animas mais evoluídos como certos animais domésticos e alguns primatas.
Espíritos naturais (elementares ou elementais). São espíritos que aguardam um primeira encarnação e se apresentam como e com os elementos da natureza - água, fogo, ar e terra- são conhecidos em algumas tendências como fadas, pixies, brownies, salamandras, duendes, trolls, sátiros, faunos, sacis, etc.

Devas. Considerados os seres em contato com os seres humanos que são os mais evoluídos, atingiram um estágio superior da evolução, são considerados do reino acima dos humanos, o nome Devas tem origem no oriente, em especial na Índia, no ocidente são conhecidos por anjos, entidades divinas, amparadores, espíritos de luz, etc.
Seres artificiais. Dentre eles uma classe de elementais, que são as projeções das mentes humanas que materializam-os e às vezes colocam-os a seu serviço. Podem ser criados conscientemente ou inconscientemente, podem ser são usados para o bem ou para o mal. E há também, nessa categoria, artificiais humanos, pessoas que já reencarnaram e mantem seu artificial no plano espiritual.

Referências:
Toda parte que fala dos seres no plano espiritual foi consultada em: O Plano Astral e Seus Seres
[1] XAVIER, Francisco Cândido. [pelo espírito André Luiz] Nosso lar. Rio de Janeiro: Federação Espírito Brasileira, 1992.
[2] PEREIRA, Yvonne A. Memórias de um suicida. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, 1975.
Mais informações sobre plano espiritual:

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...