sexta-feira, 29 de abril de 2016

Cosmologia evolutiva.



"Aqui estou eu, que nada mais sou do que tu,
O espírito do todo a que nos transformamos a cada dia,
Pela simples razão, de que precisamos juntos viver
E ser uma só coisa nessa transformação a que nos submetemos...
Tu te confundes comigo porque és fruto de mim...
E eu de ti, e eu, de ti."
Raices de América - La Ciudad

Pensar numa evolução sem se fundamentar totalmente na ciência oficial é ter que considerar proposições de ordem subjetiva e incluir fenômenos e abordagens que não se podem comprovar pelos métodos tradicionais da ciência.
É sensato que todo ser humano que tenha contado como o espiritualismo, a metafísica, o esoterismo, etc. Tenha concepções acerca de uma cosmologia que em certos pontos são análogas. Partindo desse princípio e com referência, ainda que breve, em bibliografias do gênero, é que se fundamenta os pontos que discutiremos a seguir.

O ponto inicial, a gênese, o princípio de tudo.
O homem no atual estágio de evolução não consegue compreender o princípio de tudo. E não é a morte que esclarecerá sobre tais fatos. Também não é uma questão de mistério de Deus, é simplesmente incapacidade cognitiva e mental que impossibilita ao homem tecer análises mais abrangentes.

De certa forma, o homem, ou melhor, o princípio inteligente chamado espírito que se manifesta pelo nosso corpo, caminha para a evolução e essa, analisando com uma certa lógica, leva a um entendimento mais completo.

Partindo do ponto onde já ocorreu a criação.
A criação que queremos abordar aqui não se limita a criação material, essa é apenas um viés da grande obra, também ressaltamos que não podemos imaginar que houve numa determinada época a criação. Entendemos, aqui, que a criação é um processo constante e ininterrupto.
Temos, assim, a primeira ideia de universo composta por matéria (como conhecemos) espírito (princípio inteligente do universo) e Deus (inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas).
Deus, também não compreendido por nós, mas de certa forma percebido, dependendo do suporte mental de cada um, seria a base, a essência que possibilita através de leis co-criações. Essas co-criações ficariam a cargo de espíritos que atingiram um nível evolutivo inimaginável para nós, estaria nesse nível Jesus, dentre outros vultos de grande envergatura que passaram por aqui.
São esses espíritos que usam o fluido cósmico que é o plasma divino, a força nervosa do criador, e convertem-no em grandes obras estelares sempre em consonância com a grande lei. Manipulam a matéria, fazem ensaios epirituais, apoiam, ajudam, destróem, constróem, são os agentes que atuam nas grandes estruturas materiais e espitituais.

Nós e a evolução.
Estamos fadados a evoluir. Queiramos ao não, todos e tudo evolui, do mineral ao ser angelical. Essa seria a lei mais implacável, a qual não há como fugir.
Como ocorre esse processo é algo de complexidade monstruosa. Para tangenciar o assunto a evolução está contida em substância que poderiam ser chamadas de princípio espiritual percebida de várias formas nas diferentes matérias, seria perceptivél na atração, nos minerais; na sensação, nos vegetais; na percepção e o instinto, nos animais e na inteligência a partir dos humanos.

Inter-relação e escatologia.
Há uma inter-relação entre o princípio espiritual, a matéria e Deus a ponto de ocorrer, logicamente, uma dependência mútua.
É assim, que um usa o outro, de todas as formas possíveis e imagináveis para atingir o objetivo da evolução. Estamos todos sujeitos a isso, um interfere na outro, seres de todas as espécies, de todos os reinos, encarnados e desencarnados, em todos os níveis de evolução fazem parte de um todo comprometido com ele mesmo.
Daí algumas análises de que o mal não existe, sendo apenas um instrumento para a evolução. Análises que pode se estender às grandes desgraças e catastrofes, tanto naturais como sociais, diante dessa análise, todas são necessárias. De todo modo, notem que - falamos de inter-relação - então temos culpa, podemos colaborar para o progresso, somos capazes de interferir, agir, participar dessa grande obra que chamamos criação.
Quanto ao destino final esse seria outra incógnita. Ainda não entendemos plenamente o nível evolutivo em que estamos, acredita-se que a evolução seja infinita visto que quanto mais se evolui mais se alarga o entendimento e a percepção.

Referências:
Entenda: obras que deram suporte intelectual para esses escritos.
Todas as obras básicas de Allan Kardec, em especial: O livro dos Espíritos, O livro do Médios, A Gênese e O Evangelho segundo o espiritimo.
XAVIER, Francisco Cândido. Evolução em Dois Mundos. [pelo espírito André Luiz]. 12 ed. Rio de Janeiro: FEB, 1991.
XAVIER, Francisco Cândido. A caminho da luz.[pelo esperíto André Luiz] 18 ed. Rio de Janeiro: FEB, 1991.
UBALDI, Pietro. A Grande Síntese. [trad. Carlos Torres] 16 ed. Campos: Fundapu, 1988.
Leitura recomendada.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...