domingo, 8 de maio de 2016

A doença do ponto de vista espiritualista.


É interessante frisar aqui que essa é uma visão da doença do ponto de vista espiritualista, dentre outras.
Entendemos aqui como doença um desequilíbrio fisiológico que provoca distúrbios e dores no corpo físico, podendo levar á morte.
Devido às características físicas responsáveis por nossas vicissitudes estamos sujeitos a desenvolvermos alguns problemas de ordem física. Isso é inevitável. Devido a esse fato um dia morremos, não é possível fugir disso. E faz parte da normalidade física e espiritual.
Contudo, pelo fato de carregarmos carmas de outras existência dificilmente não estamos sujeitos a alguns problemas. Esses são de ordem espiritual, podem ser extremamente graves ou podem ser apenas sintomas para revermos nossas condutas no corpo físico atual.
Do ponto de vista espiritualista praticamente todas as doenças provêm da alma (espírito), elas são promovidas devido, principalmente, a distúrbios energéticos que acabam por refletir no corpo físico. Podemos dividi-la sem duas categorias:
Primeira - elas são um desequilíbrio normal que indicam uma necessidade de reavaliarmos nossa trajetória, um processo espiritual que reflete no físico, uma circunstância que nos põem em situação mental capaz de reavaliarmos nossas concepções e nossa forma de agir. Esses estados costumam ser passageiros, atingem o objetivo e as pessoas, juntamente com intervenções médicas no físico (a maioria das vezes) se recuperam e conseguem "se livrar" da doença. Nesse sentido a doença sinaliza um desvio da rota divina, da energia espiritual que o mantém vivo e que ele canaliza na sua trajetória de vida para cumprir seus compromissos. Assim, a doença é um correção de rota.
Segunda -  ela pode ser produto de uma determinada conduta na vida atual, porém entende-se que é uma situação prevista. Podemos entender como uma queda. Ao encarnarmos podemos enfrentar algumas dificuldade que já estavam planejadas e previstas para promover nossa evolução. Nossa vivência desregrada, como a própria ciência constata há tempo, causa-nos prejuízos irreparáveis. Mas por sabermos disso, por que vivemos desregradamente? Aí entra a questão da espiritualidade. São, na maioria das vezes, provas que temos que passar e muitas vezes sucumbimos. Exemplo clássico (e pouco compreendido) -a a riqueza - ela é capaz de nos levar a consumirmos muito, a prejudicar nosso físico, a temos contado com substância nocivas etc. Entendam que outras circunstâncias também podem promover esses problemas, a riqueza foi só um exemplo.  

Para aprofundar o assunto, recomendamos a leitura:
FRANCO, Divaldo Pereira. Dias gloriosos [pelos espíritos Joanna da Ângelis] Salvador: Leal,2015.     

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...